top of page
Buscar
  • Foto do escritorwalter tierno

Arte de semáforo

De dentro do carro, enquanto esperávamos o semáforo abrir, Rita e eu assistimos a uma artista de rua fazer acrobacias com seu bambolê. Rita contribuiu com uma nota. Outro a pagar foi um motoqueiro, entregador de aplicativo, que também esperava o sinal verde. A artista exibia, além do talento e um sorriso — que tampou com a máscara quando foi recolher o dinheiro —, uma barriguinha de gravidez. Primeira coisa que pensei: quem engravida com um trabalho desses e em plena pandemia? Que babaca. Não ela. Eu! Quem engravida com um trabalho desses e em plena pandemia? Espanto a poeira das certezas tolas para responder: Quem acredita na vida. Quem tem esperança e amor.

E, afinal, que tipo de pergunta foi essa? Que julgamento a inspirou?

Quando a geração de vida passou a ser exclusividade de quem tem esse ou aquele padrão de vida? Essa sim é uma boa pergunta. Quando o amor se tornou refém? Por que ainda julgo? Por que ainda julgamos? Quem ou o que nos condicionou a isso? A essa forma cínica e inumana de pensar e sentir?

A acrobata de bambolê se apresenta na rua com barriguinha de grávida. Por amor à arte e pela arte de amar.



6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

A banalização da tortura psicológica

Não preciso nem pesquisar. Tenho certeza de que o tal sincerão a que testemunhei no episódio do Big Brother Brasil do dia 19 de fevereiro deste ano foi retirado de algum manual de tortura psicológica

Pen-drive

Só para ajustar expectativas: espero que ninguém esteja acreditando que dizer aos golpistas que a desculpa de pen-drive do deputado no Catar é furada, porque ele poderia mandar e-mail, colocar na nuve

51 milhões que precisam ouvir

O atual (des)presidente recebeu pouco mais de 51 milhões de votos. E, por isso, venho registrar aqui um desabafo. (Se tiver paciência e/ou curiosidade, siga em frente). Sou uma pessoa bastante empátic

Comments


bottom of page