Buscar
  • walter tierno

Cidadão de bem

Aquele sujeito de cabelo bem cortado, tênis confortável, do tipo caro, que não agride a joanete. Pode ser jovem ou ter idade avançada, não importa, porque seu espírito é velho. Não daquela velhice recheada de sabedoria e sensibilidade. Sabe aquela que se queima pelos outros e provoca choro fácil? Nada disso. Esse ser — ainda vivo? — tem mesmo é aquela velhice carcomida, covarde, que ataca e briga, com ou sem motivo que se possa ou não ver. Essa pessoa, se é que se pode dar nome tão nobre, anda por aí, livre, e conversa e discursa. E nada em sua conversa e em seu discurso tem frescor, aconchego ou convite. Tudo é luta e acusação, briga e reclamação. Cidadão de bem. Cidadã de bem. É como se chamam. Tem muitas mulheres nesse meio. De almas tão decomposta quanto as dos homens. Com que se importam todos eles e todas elas? Com um conforto estranho, que ninguém ameaça. Um tesouro qualquer que ninguém sabe qual é, ninguém vê, ninguém sequer quer. Cidadão de bem acusa o roubo do outro e não quer que apontem o seu, que nem rouba acredita ser. Como o cidadão de bem rouba, esse maroto! Ele consome e corrompe. E seu mal é melhor que o de qualquer um, porque é bem. Para ele e seus filhos e filhas. Sua corrupção é negócio. A correção dos outros, todos menores, menos importantes que ele, nada mais é que ditadura. Cidadão de bem não tem limite no quanto gosta de ditar regras para as vidas dos outros. Cidadão de bem mente. Quer saiba a verdade, quer não. Sua língua não presta para muita coisa além disso e de vociferar. E como vocifera, esse sapo velho! Ele cospe, chuta, rosna e xinga. Cidadão de bem quer que todos morram. Quer ser o último a andar sobre o planeta, que é um disco chato e ditado pela força oculta de vozes que apenas ele escuta e por palavras que só ele lê e repassa. Cidadão de bem deveria ficar em sua casa, enfiar a cabeça entre os joelhos e esperar a morte, que há muito o deixou por aqui, pois não aguenta sua vociferação, sua ditadura, sua moral, sua luta e sua reclamação. Cidadão é que não é. Cidadão, e de bem, nada tem.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Posições

Não é segredo minha opinião sobre Boslonaro e sua família. Nunca escondi meu desapontamento que vem desde que seu nome começou a crescer nas pesquisas eleitorais. E esse descontentamento não é com ele

Redes

Quem acompanha meus perfis nas redes sociais, em especial o Facebook, vai notar algo peculiar. Apaguei meus posts críticos, com exceção de cartuns e ilustrações, e tudo que publiquei antes de 2019. T

Ele mente as pessoas acreditam

Vou contar uma historinha pra vocês. Meu irmão estava em uma loja no centro de São Paulo, vendo armas de pressão. Dessas que atiram uma bolinha metálica. Na mesma loja, vendem armas de verdade. Enquan

  • facebook
  • insta
  • Branca Ícone LinkedIn