Buscar
  • walter tierno

Estamos com muita pressa

Ouvi no rádio uma conversa sobre robôs e como eles vão substituir as pessoas em algumas profissões. Lembrando que não estamos falando só dos robozinhos clássicos, mas também de programas inteligentes. Em um momento, o entrevistado — desculpe, mas nem sei quem era — deu a seguinte dica: “as pessoas não devem ficar pensando se vão perder o emprego, têm que buscar outras atividades que só humanos possam realizar…” Ele disse que o mundo está mudando com muita rapidez e que as pessoas precisam correr atrás e se adaptar. Fiquei me perguntando: 1 – Será que, como civilização, como comunidade, como indivíduos, precisamos mesmo nos colocar em uma velocidade que, talvez, a maioria acabe não conseguindo acompanhar? Será que essa tal velocidade é interessante? Será que não estamos queimando etapas? 2 – Imaginei pessoas com minha idade ou mais velhas, que passaram a vida toda se preparando para realizar um tipo de trabalho, um com que sonhava desde sempre, e de repente vem alguém e diz: “Aprenda a fazer outra coisa.” Ninguém que defende o “corra atrás” pensa nos que não querem correr. Que, quer saber, deve ser a maioria, a verdade é essa. Então, quem não quer correr atrás não tem esse direito, será deixado para trás. E achei engraçado o âncora dizer que as pessoas precisam aprender a se voltar a serem relevantes… Hein?! Pensei que as pessoas fossem relevantes e ponto. Porque, afinal de contas, somos uma civilização formada por… PESSOAS! Lá nas primeiras décadas do século XX, um gênio do cinema levantou bandeira contra a desumanização da sociedade. Charlie Chaplin. Tenho visto, com tristeza, seu discurso se tornar relevante novamente.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Posições

Não é segredo minha opinião sobre Boslonaro e sua família. Nunca escondi meu desapontamento que vem desde que seu nome começou a crescer nas pesquisas eleitorais. E esse descontentamento não é com ele

Redes

Quem acompanha meus perfis nas redes sociais, em especial o Facebook, vai notar algo peculiar. Apaguei meus posts críticos, com exceção de cartuns e ilustrações, e tudo que publiquei antes de 2019. T

Ele mente as pessoas acreditam

Vou contar uma historinha pra vocês. Meu irmão estava em uma loja no centro de São Paulo, vendo armas de pressão. Dessas que atiram uma bolinha metálica. Na mesma loja, vendem armas de verdade. Enquan

  • facebook
  • insta
  • Branca Ícone LinkedIn