Buscar
  • walter tierno

Minha vida no teatro 3

As aventuras de Teodorico Raposo (quando eu tiver achado alguma foto, colocarei aqui e no Instagram) Para superar minha frustração com o fiasco que acabou sendo a montagem da peça de Plinio Marcos (leia o post anterior), resolvi retomar um projeto incompleto. Peguei uma adaptação que o amigo Marcelo Toledo fez de “A relíquia”, de Eça de Queiroz e reescrevi, transformando numa comédia absurdamente escrachada, bem ao estilo anos 80/90. Dei o nome de “As aventuras de Teodorico Raposo”. Montamos, eu e Manogon Manoel Gonçalves e levamos para um festival em Itaim Paulista. Foi uma ótima forma de encerrar minha curta carreira de ator amador. Apresentamos a peça, se não me falha a memória, em 4 lugares diferentes. No Itaim, recebemos elogios e algum reconhecimento do pessoal do festival. Não levamos nenhum prêmio, mas a galera curtiu. Voltamos ao teatro do Senai (lembra do post sobre Faroeste Caboclo?), onde usei a estratégia da puxadora de risada para ampliar o efeito. Fiz questão que a amiga Mônica Bortolossi estivesse presente para contaminar o público com sua risada. Também fizemos uma apresentação na casa de cultura Mazaroppi, que fica no Brás. Foi bem legal esse período. Ensaiamos a peça numa escola em Guaianazes, perto da casa do Manoel, durante as tardes de domingo. Ainda lembro com saudosismo das minhas viagens até lá. A peça, essa eu jamais remontaria. Estava cheia de piadas horríveis, estilo Zorra Total e Praça é nossa. Mas foi muito divertido. Era na concentração dessa peça que eu colocava Metallica pra pilhar a galera antes de entrar no palco. E dava certo! Pessoal entrava inspirado. Coincidiu o final da temporada com a morte do meu pai. Ele tinha curtido bastante a montagem. Minha mãe diz que ele se acabou de rir na primeira vez a que assistiu. Ele gostava de comédias. Então, pra mim, foi bastante marcante essa experiência. Eu tinha 22 anos. Só fui voltar a me envolver com teatro uns dois anos depois, se não me engano. Nunca mais como ator.

O elenco

O programa.

A cena final

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Posições

Não é segredo minha opinião sobre Boslonaro e sua família. Nunca escondi meu desapontamento que vem desde que seu nome começou a crescer nas pesquisas eleitorais. E esse descontentamento não é com ele

Redes

Quem acompanha meus perfis nas redes sociais, em especial o Facebook, vai notar algo peculiar. Apaguei meus posts críticos, com exceção de cartuns e ilustrações, e tudo que publiquei antes de 2019. T

Ele mente as pessoas acreditam

Vou contar uma historinha pra vocês. Meu irmão estava em uma loja no centro de São Paulo, vendo armas de pressão. Dessas que atiram uma bolinha metálica. Na mesma loja, vendem armas de verdade. Enquan

  • facebook
  • insta
  • Branca Ícone LinkedIn